Fascista? Quem?

Imagem
Aqui a Ovelha não tem tido sequer grande vontade em falar neste tema, pois são muitas as palavras impróprias que me sugere. Estou confinada há 43 dias, a sair só para as compras, quase como se fosse uma criminosa, a lavar-me e a desinfetar-me desenfreadamente. Com medo, muito medo, e a tentar que os outros também sintam esse receio pois, neste caso, o medo poderá ser a nossa salvação. Sou católica e, apesar disso, passei a minha Páscoa como um qualquer domingo e critiquei aqueles que não o fizeram, tal como critiquei os que foram para a praia, para a marginal de Vila do Conde ou os que passeiam em romaria pela minha rua. E é por isso que não posso deixar de criticar, ainda com mais intensidade, aqueles que deviam dar o exemplo e que se comportam como aquilo que chamam a quem a se opõe ás suas vontades impostas: fascistas! O termo "fascista" nasce da palavra italiana fascismo (de fascio. "feixe; associação política ou social"). Entre outras coisas, f

Sabe o que é que andam a fazer com a sua saúde? Leia e pasme!



Agora que os animais estão na moda (e eu também os tenho e estimo), as pessoas parecem ter sido relegadas para segundo plano. E quem tem o azar de estar doente, que se prepare, pois tudo não passa de uma lotaria!

Por estes dias foi notícia o facto da Liga dos Amigos do Hospital de Viana do Castelo ter doado um mamógrafo digital. De louvar a iniciativa de Defensor Moura (posso não ter muitas vezes concordado com o político mas, neste caso, "a César o que é de César"). O que não percebo é o facto das pessoas não se questionarem! Mas porque raio é que teve de ser a Liga a andar a pedinchar dinheiro para que se comprasse um equipamento tão essencial? Porque Moura sabia o que eu e o Diretor do Centro Hospitalar sabíamos há muito: fazer ali uma mamografia era pura ilusão pois o equipamento estava completamente obsoleto... E assim se perdem vidas.
Mas é só esta a única "doença" da gestão hospitalar? Era bom, era! E agora pasmem: uma boa parte do equipamento de radiologia está obsoleto e ultrapassado! Há doentes que chegam a fazer dois TAC com contraste num espaço de 24 horas, porque os exames não estão devidamente visíveis!
Mais vergonhoso é o facto de se estarem a fazer ressonâncias magnéticas num hospital privado, no Porto. O serviço e acompanhamento dos doentes é cinco estrelas, mas já o mesmo não se pode dizer da fatura que isso representa para um hospital público.
Há dias alguém contava que os doentes são levados diariamente por um taxista (que sai umas portagens antes do hospital para gastar mais um bom pedaço de tempo e...de taxímetro), viagem que se repete por vezes à tarde com outro taxista. Ora se no fim de uma viagem o taxímetro marcar 160 euros (como foi o caso) e se a isto juntarmos o custo das RM's, não é preciso fazer muitas contas de cabeça para perceber o balúrdio que é gasto ao final de um mês, de um ano...
E é aqui que surgem mais questões: Porque não ponderar a compra do equipamento?; Há hospitais públicos ou mais próximos que o possam fazer?; Para que servem os nossos bombeiros, etc., etc, etc...
E se as dúvidas aqui são muitas, há também uma certeza única: este é apenas um exemplo da má gestão que reina na saúde em Portugal! Se as condições deveriam ser as mesmas para todos? Sim, deveriam!
Por isso é importante que nas próximas eleições não vá para a praia ou ver a bola!

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Carta Aberta a Tiago Brandão Rodrigues

Quem tem medo compra um cão!