Fascista? Quem?

Imagem
Aqui a Ovelha não tem tido sequer grande vontade em falar neste tema, pois são muitas as palavras impróprias que me sugere. Estou confinada há 43 dias, a sair só para as compras, quase como se fosse uma criminosa, a lavar-me e a desinfetar-me desenfreadamente. Com medo, muito medo, e a tentar que os outros também sintam esse receio pois, neste caso, o medo poderá ser a nossa salvação. Sou católica e, apesar disso, passei a minha Páscoa como um qualquer domingo e critiquei aqueles que não o fizeram, tal como critiquei os que foram para a praia, para a marginal de Vila do Conde ou os que passeiam em romaria pela minha rua. E é por isso que não posso deixar de criticar, ainda com mais intensidade, aqueles que deviam dar o exemplo e que se comportam como aquilo que chamam a quem a se opõe ás suas vontades impostas: fascistas! O termo "fascista" nasce da palavra italiana fascismo (de fascio. "feixe; associação política ou social"). Entre outras coisas, f

No país dos chutos e pontapés



Desde cedo que vivi e convivi com a máxima: "se queres ser respeitada, dá-te ao respeito". Tenho tentado seguir este princípio (melhor ou pior) ao longo da minha vida, princípio esse que muitos seguiam, mas que agora parece estar "démodé"...
Pois bem, o bom exemplo deve "vir de cima", ou pelo menos sempre foi essa a expectativa que sempre tive. Mas a realidade é muito diferente... O que dizer de uma Ministra que trata os seus enfermeiros como selvagens?
O que dizer de um Ministro que quase chama palhaços aos seus professores? E o que dizer dos professores quando acham normal uma turma mal comportada, pois caso contrário  são obrigados a entrar num imenso processo burocrático? E os que se pelam de medo caso os pais não gostem que os meninos sejam repreendidos ou castigados, e acabam por não aplicar sanções disciplinares? E não será por causa desta falta de respeito que há pais (ou mesmo alunos) que entram na escolas e agridem professores? 
E o que dizer quando o Presidente se arma em Obama e telefona para a sua Oprah loira? E logo a seguir vai o Primeiro (a quem até dava jeito ser negro) dar a volta aos tachos? Já para não falar de termos um serviço público de televisão que promove e patrocina um tipo que se quer que seja tudo, menos um exemplo para os nossos filhos, a começar por um "fantástico" Conan, com ar de ganzado e com um péssimo português a cantar aquilo que a corrente pseudo-intelectual que que seja a música da moda?
O que dizer de um Governo que se reproduz, em laços familiares, como os coelhos? E de ex-presidente que criticam quando, eles próprios, foram os que começaram a alimentar o "polvo"? 
O que dizer de autarcas que desviam donativos, ou dos que os fazem aos amigos à conta do nosso dinheiro, e continuam impunes?
Não me apetece falar de juízes, mas como é que as pessoas podem respeitar a ajustiça, se a própria justiça não se dá ao respeito?
Há dias, por um acaso, encontrei-me com um autarca e um ex-autarca da mesma Câmara Municipal. Durante uma simpática e amena cavaqueira o ex-autarca diz: "Isto é respeito! É estarmos aqui assim a conversar assim, mesmo sendo de linhas partidárias distintas!". É verdade, ali senti respeito. Não foi apenas conversa de ocasião, cordialidade, simpatia, foi respeito e, não haja dúvidas, o respeito é muito bonito, mas o exemplo deve vir de cima! #respeito

Comentários

  1. Eu também assisti à conversa dos autarcas e atesto o clima de respeito sentido.

    ResponderEliminar

Publicar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Carta Aberta a Tiago Brandão Rodrigues

Quem tem medo compra um cão!